sexta-feira, 30 de outubro de 2009

O sonho que muitos gostariam de ter...


Caminhava por uma estradinha estreita ladeada por cercas mal cuidadas.. Sob uma neblina espessa, com o sentido de orientação prejudicado pelo sono..do sonho.
No ar um aroma ácido de frutas silvestres, misturadas ao odor forte de mato molhado pela cerração.. Não sei dizer se estava noite ou um dia em penumbra sólida causada por um sol ausente. Mas havia um rumo, um caminho aberto que se perdia de vista.

Não tinha razões específicas para andar, mas simplesmente andava. Precisava disso tanto quanto precisava do ar pesado que respirava...De repente ouvi um ruido que percorreu uma das laterais da estrada..Junto dele um arrepio de susto levantou os pelos da nuca, já não estava sonhando..em sonho e estava acordado..O ruido se parecia com o de uma bola pesada esmagando o capim seco, ou um lagarto pequeno tentando fugir de mim..Fiquei parado por alguns instantes na expectativa de ouvir novamente, mas o barulho não se repetiu..Continuei a caminhada, a partir daquele momento com a atenção redobrada..Como tudo se acalmou, pensei que minha imaginação estava muito aguçada. Alguns minutos depois;; novamente um barulho de passos, só que vinha da minha frente.. Pensei, agora não é minha imaginação..tem alguém andando por aí..além de mim.

Fui devagarinho meio agachado tentando me esconder na sombra. Estava com medo essa é a verdade, mas continuava caminhando. Até que de repente olhei para a frente e num pequeno aclive da estradinha estava parado com um chapeu estranho, um menino...Achei que era uma criança pelo seu tamanho diminuto.. Ao fundo uma luz tênue conferia à figura uma aparência nada amistosa... Levei o maior susto com o qual já sonhara em minha vida.

A neblina estava recrudescendo, o campo de visão cada vez menor, mas era possível distinguir claramente a silhueta angulosa do pequeno ser...Em princípio imaginei que estivesse Há uns dez metros de distância, mas me enganei.. o seu pequeno porte me dava essa falsa impressão..Seu chapéu pontudo era praticamente do seu tamanho. O "conjunto" inteiro não ultrapassava os 50 cm..Na verdade estávamos muito próximos ao alcance da minha mão..A luz melhorou um pouco, pude ver nitidamente o seu rosto..Apesar de uma barba longa e meio amarelada, tinha aparência jovem..Os seus olhos eram um pouco juntos e meio apertados como se sofresse de miopia...

Eu decidi falar alguma coisa, mas estranhamente minha voz não saiu, no entanto ele me respondeu ao que nada lhe perguntara, falou:
- Sei quem és e o que procuras!! com uma voz meio rouca..
- E o que eu procuro Senhor...? perguntei sorrindo tentando parecer amigo..
- Meu nome é Nathel!!! (nome inventado, pois no sonho não entendi quando ele falou)
- E estás procurando a tua vida!! continuou o homenzinho.
- Minha vida??? Perguntei tentando não rir.- Mas como alguém procura sua própria vida?
- Ninguém procura sua própria vida, pois ela está sendo consumida pelo tempo, enquanto acham que estão vivendo!!
- Então porque o Sr. disse que eu a procuro?
- Não é essa vida, mas aquela que não viveste! e digo que estás procurando no momento errado, do modo errado e no lugar errado!!
Fiquei sério olhando para o pequeno de chapéu engraçado..Na minha cabeça passava a ideia de virar as costas e voltar..Mas nesse instante me dei conta de uma coisa, eu já não estava mais no planeta.. Já não fazia parte daquele mundo que eu conhecera..
Comecei a ficar agitado e coloquei as mão nos bolsos notando que estavam cheios de água...O anão percebeu minha angústia e se aproximou sorrindo..
- Não há nada a temer, meu amigo! Estás fazendo o que tens que fazer e eu estou aqui para te ajudar!!
- E o que eu tenho que fazer?? E como vais me ajudar?
- Quando se tem um caminho para seguir, devemos apenas caminhar, nada mais! Entretanto temos que saber; o momento de partir, a direção a tomar e a velocidade que se deve andar!
- Então provavelmente não acertei nenhuma das três condições! Respondi abrindo os braços ao longo do corpo e deixando-os cair num barulho abafado.
- É verdade! redarguiu o baixinho com uma gargalhada.. - Mas estou aqui para isso, para te iniciar nessa nova vida!
Não sei porque mas aquilo não me surpreendeu nenhum pouco..
- Em primeiro lugar não estás na direção correta, vem comigo, vamos voltar por aquela trilha ali à tua direita!
- Mas não tem nada ali...! Calei em seguida, pois ao olhar na direção apontada pelo "gnomo" vi com muita clareza um caminho que estava mais para uma trilha escura e pedregosa..Ao lado imediatamente se abriu uma estrada larga iluminada e muito bonita...Fiquei olhando um pouco e voltei os olhos para Nathel..
- Então meu caro, qual o caminho escolhes? Perguntou ele sorrindo..
- Eu escolho o caminho estreito e cheio de pedras! respondi me achando esperto..
- É mesmo? Mas por que?
- Sei lá!! sempre quando vejo este tipo de pergunta a resposta é o caminho mais difícil!!
- Mas que coisa maluca!! Foi isso que te ensinaram durante todo esse tempo na Terra?
- É! Na verdade é isso que ensinam para responder!!
- Bem, eu não te culpo então! Mas não é esse o melhor caminho, podes ter certeza..Se escolheres o caminho mais difícil, não poderás exigir de ti mesmo um resultado satisfatório!!
- Sim mas, esse outro caminho é muito fácil!
- E quem disse?
- Tu mesmo disseste que o outro é mais difícil, ué!!
- Sim mas não disse que este é mais fácil..
Comecei a achar que estava perdendo meu tempo com aquele homúnculo doido..Com as mãos para trás me dirigi então para a estrada iluminada..Dei umas passadas largas com a intenção de me afastar de Nathel.. Mas o cara era tão chato que estava sempre na minha frente, e eu quase pisando na sua casaca ridícula..
- Hummm! escolheste o caminho certo, meus parabéns! mas não é correndo que vais chegar ao teu destino!!
- Ah! meu saco!!! Quem é que está correndo??
- Lembras que te falei que o modo como procuravas estava errado?
- Então como devo agir? Perguntei com as mãos cruzadas atrás da cabeça...
- Com cuidado, meu amigo! muuuito cuidado!!
Instintivamente comecei a andar bem devagar e Nathel ao meu lado assoviando uma canção desconhecida..
A estrada se tranformou. Mudou tudo, agora era um escadaria imensa com degraus altos..Eu tinha dificuldade para transpô-los e maldosamente fiquei imaginando o meu parceiro. Mas qual não foi minha surpresa, o baixinho sobrevoava os degraus e rindo da minha cara ainda...
- Ei olha só a escada acabou! Finalmente! Exclamei exultante..
- Então está na hora de descansarmos!
- Mas já? Eu não estou cansado!
- Eu sei, mas precisamos ganhar tempo!
- Essa é boa! Tempo é o que mais temos aqui, não é?
- Eu tenho! Mas tu não tens tempo algum!

Naquele exato segundo, "o sonho acabou". Espero sinceramente sonhar de novo com Nathel..Afinal ele ficou me devendo algumas explicações...

4 comentários:

Cynthia Lopes disse...

Caramba, muito legal o seu sonho, quase um roteiro de filme! Espero que a parte II seja muita mais incrível que a I, e que vc encontre as respostas que tanto procura. bjs

Ricardo Kersting disse...

Bem minha querida Cynthia, terei que sonhar novamente com o meu "guardião nanico"... Se não sonhar, dificilmente haverá uma segunda parte, pois não poderei inventar uma sequência para uma coisa tão insólita... Temo que minha criatividade não chegue a tanto..
Beijos..

(l' excessive) disse...

Se Nathel ficou te devendo outras informações, uma ele já te deixou:
" Quando se tem um caminho para seguir, devemos apenas caminhar, nada mais! Entretanto temos que saber; o momento de partir, a direção a tomar e a velocidade que se deve andar!"

(eu, se tivesse sonhado este seu sonho, teria acordado no momento em que me deparasse com o nanico de tão apavorada que estaria)
:o)

Ricardo Kersting disse...

Liz..

Em primeiro lugar quero te agradecer por me chamares atenção para esta frase Realmente é significativa, talvez suficiente para não haver necessidade do Nathel retornar...Ele disse muito com isso..Mas confesso que gostaria de repetir essa experiência, mesmo sendo um sonho..É muito legal..
Abração.